25 de ago de 2009

Brasil: Laércio Redondo


Vista geral da Instalação, interno,
Bienal do Mercosul, Porto Alegre, Brasil 2003


O artista fala do ser humando sem propriamente ultilizá-lo.
Laércio fala de duplicidade, de repetição, duplicando as pessoas que adentram seu labirinto de espelhos.
A instalação Hotel Solidão consiste em dois cubos um dentro do outro com paredes cobertas de espelhos. Entrando no espaço, o expectador descobre aparentemente infinitos corredores e passagens refletidas, diversas camadas multiplicando a sua imagem e seu entorno. O segundo e menor cubo, apresenta ao visitante uma modificação que permite ao expectador ver através do espelho e observar os visitantes que passam pelos corredores do primeiro e grande cubo. Microfones escondidos transmitem as vozes do espaço interior para o exterior, sugerindo uma interação e troca de percepção para os visitantes.
A questão central do trabalho são as relações entre o individuo, o outro e o espaço; suas proximidades e distanciamentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário